em Tudo Sobre Marcas de Roupas

Ter um e-commerce de moda é uma realidade que veio para ficar.

Precisamos entender como neutralizar os erros mais comuns que atrapalham o sucesso de novas marcas que buscam se projetar como e-commerce de moda.

Errar é humano, porém, se é possível agir de maneira preventiva sobre os erros é bem melhor, não é? 

Neste texto, vamos identificar quais são os principais erros cometidos por donos de marcas de roupas que querem vender online.

Isso para que você, empresário iniciante ou experiente, esteja precavido e tenha ótimas vendas.

Como vivemos em um cenário de crescimento das vendas de vestuário pela internet até devido à pandemia, é preciso que as marcas saibam se posicionar de forma consistente, até porque há concorrência e satisfação dos clientes a se zelar. 

Se você deseja vender ou já o faz pela internet, será que observou alguns vícios que podemos assumir com as nossas novas coleções de vestuário?

Espero que este texto ajude você, empresário, a ter insights relevantes e esteja cada vez mais pronto para um novo nível em seus empreendimentos de moda e acessórios!

Veja também: Quais As Principais Dúvidas Sobre Grade de Tamanho de Camisetas?

Confira agora mesmo os principais erros e se previna deles!

 

Não ter definidas as Personas com a devida profundidade

Na relação do e-commerce com os seus potenciais clientes, o acesso não se dá como na loja física, onde o cliente entra e você o atende já visualizando seu perfil.

Nas vendas através das lojas virtuais, tudo acaba sendo um pouco mais distante porque é feito virtualmente e à distância. 

Então, é preciso um empenho para validar as características principais das suas Personas Compradoras (Buyer Personas) e, assim, potencializar os processos de vendas e facilitar o seu relacionamento, oferecendo um atendimento mais adequado ao perfil.

Na prática, as Personas são representações semi-fictícias de um grupo de pessoas que possuem aspectos muito similares entre si. Recomendo que seja dado um nome real, até para ajudar a criar uma conexão mais pessoal com ela.

Por exemplo, se a sua marca vende roupas fitness para mulheres, é possível que tenha personas que usam as peças apenas para fazer um exercício leve, como caminhar no parque 2x por semana; e outra persona que usa para fazer academia todos os dias.

Por mais que elas usem o produto para a mesma finalidade, que seria fazer exercício físico, o contexto no qual é usado, assim como seus interesses, desejos e necessidades são diferentes entre si.

Para definir as suas Personas com mais profundidade, sugerimos que o empresário ou a pessoa responsável pelo marketing/vendas faça entrevistas qualitativas, considerando:

  • Profissão, Escolaridade, Classe Social e Renda Mensal
  • Qual objetivo a Persona quer atingir?
  • Quais são as suas principais necessidades?
  • Como nossa solução ajude ela?
  • Qual é o valor (tangível e intangível) que a nossa solução agrega a ela?
  • O que pode impedir ou acelerar o processo de compra?
  • Quais as objeções mais comuns?
  • Quais são os seus interesses e desejos pessoais?
  • Para quem ela pede conselhos e por onde se informa sobre esses produtos?
  • Quais são hábitos gerais e sociais do seu cotidiano?
  • Quais os meios de comunicação usa e com qual frequência?

Dessa forma a sua marca conseguirá focar a sua atenção e investimentos em campanhas que gerem maior empatia com o público e, por consequência, que tenham mais assertividade.

Saiba Mais: Entender Como Funciona o Processo de Serigrafia em Camisetas

 

Não ter claro os pilares do seu E-commerce de moda e o seu propósito

e commerce de moda

Você já parou para pensar onde pretende chegar com a sua marca de roupas?

É possível que haja uma identificação dos clientes com a qualidade dos produtos (que falaremos a seguir), mas também é essencial considerar como os valores da empresa são comunicados. 

Portanto, a identificação do real propósito da sua marca de roupas tem de ser clara para você e, sobretudo, para seus clientes. 

Todos nós já ouvimos falar que determinado produto “é a sua cara” ou que a associação da marca como patrocinadora de determinada causa “se identifica muito comigo”. É assim! 

E, especificamente ao tratar de e-commerce de moda, é de extrema importância ter seus valores e princípios bem claros, para que sua persona se identifique e se fidelize.

Por isso, a construção sólida de uma marca passa por uma identidade com características próprias e trabalhar nisso pode gerar um grande diferencial para sua empresa!

O ideal é que uma marca tenha pelo menos 3 valores muito claros e específicos, como por exemplo: Veganismo, Sustentabilidade, Proteção Animal.

Não ter esses valores bem definidos pode gerar sérios problemas internos, como a falta de engajamento dos colaboradores e dos clientes, comprometendo não só as vendas, mas também a qualidade da sua produção.

 

Fornecedor mais barato X Qualidade de entrega e produtos

Esse é um erro mais que comum no e-commerce de moda, pois a tendência é pensar que conseguindo o valor mais baixo, conseguiremos mais clientes.

O cliente será fiel desde que haja qualidade.

A qualidade que esperamos numa compra pela internet (quando não vemos fisicamente o produto físico) está ligada ao cumprimento das propostas de tamanho, do tecido ou ainda da estampa.

Por isso, é um erro pensar que o fornecedor mais barato vai lhe garantir mais vendas.

Para que uma marca seja sólida no mercado, é necessário que os clientes sejam fiéis àquela empresa, se identificando pessoalmente e comprando com recorrência. 

Adquirir uma vez algo de baixa qualidade ou que a entrega fique comprometida, torna mais difícil a possibilidade de recompra e, assim, um relacionamento pouco duradouro.

Como consequência,  potenciais clientes fiéis passam a falar mal de seu atendimento ou produto, dificultando com que outras pessoas venham a comprar da sua marca!

O barato não pode sair caro. Então, não tenha medo de perder clientes por oferecer algo um pouco mais caro, porém com maior qualidade e durabilidade. 

Quem fechar negócio falará bem de seu produto e recomendará para novos clientes. E mais, ele mesmo voltará a comprar.

Isso traz reconhecimento a marca!

Apego às métricas de vaidade do marketing digital

A grande tentação que hoje paira no mundo do e-commerce (e no mundo digital, em geral) é acreditar piamente que o sucesso reside no número de seguidores que se cultiva e no número de likes que se geram nos posts.

Como isso gera visibilidade e relevância nos algoritmos das mídias sociais, corremos o risco de, por pura vaidade, atribuir a estes fatores uma importância maior que eles de fato possuem. 

Inicialmente, é preciso que eu já lhes diga uma verdade: seguidores e likes não significam necessariamente mais vendas.

Você pode ter uma audiência fortíssima que nem sempre se traduz em consumidores da sua marca.

Não estou diminuindo a importância do marketing digital. Apenas quero que cada coisa tenha o valor que é devido.

Claro que há um apelo de presença nas redes sociais, só lembre de igualmente considerar algumas métricas mais ligadas às vendas, como as visitas às páginas de:

  • Página de Produtos
  • Adição ao carrinho
  • Checkout
  • Finalização de Compra
  • Adição de Informações de Pagamento

Vale a pena a leitura: Conheça o Passo a Passo para Identificar a Qualidade de uma Camiseta LongLine

Medo de investir em seu E-commerce de Moda

Uma imagem pouco profissional de uma marca faz com que as pessoas pensem duas vezes (ou mais) antes de fechar um negócio. 

Mas em quê devemos investir? Antes de dar dicas, é preciso entender que investir significa antecipar a possibilidade de ganho através da injeção de valor econômico em algo. 

Para isso é preciso dividir o e-commerce da empresa em frentes e sondar cada uma delas a sua necessidade. Por exemplo, o setor comercial. Os que fazem a recepção dos pedidos ou a negociação receberam capacitação para tal? 

Outro exemplo, o setor de expedição. Os que trabalham ali dispõem das ferramentas necessárias para tornar tudo mais ágil e de qualidade? Outro exemplo, ainda, é o setor de manutenção da marca. 

Eles se apropriam de todas as possibilidades para divulgação adequada ou fazem uma ponte significativa com uma boa agência de publicidade?

Vejamos que todas essas possibilidades levantadas custam dinheiro. E custam mesmo! A qualidade custa, porém é possível sim começar com pouco!

E para que o objetivo seja atingido, que é a fixação da marca como uma referência no e-commerce de moda, é preciso investir com a certeza de que o retorno virá como consequência de um investimento assertivo.

No mundo dos e-commerces, é importante que seja feito investimentos contínuos em campanhas de marketing no Facebook e Instagram.

Isso pode ajudar (e muito) a ampliar sua audiência e potencializar suas vendas.

Isso faz sentido para você, dono de marca, que pretende saber como alavancar sua marca de roupas?

Então é hora de colocar tudo isso em prática!

A gente se vê logo em outro artigo!

 

Leituras para potencializar o relacionamento com confecções de roupas:

Postagens Recentes

Deixe um Comentário

politica de trocagrade tamanho camisetas